domingo, 1 de maio de 2016

NO PRÓXIMO SÁBADO, DIA 07, O PROGRAMA FALA SEGURANÇA ESTARÁ ENTREVISTANDO A PROMOTORA DE JUSTIÇA DRª. EUZA MISSANO E NO DIA 14, SERÁ A VEZ DO JUIZ DE SÃO CRISTÓVÃO DR. MANOEL COSTA NETO.



Neste sábado, dia 07, das 11 às 12 horas, na rádio Jornal AM 540, no Programa Fala Segurança, apresentado pelo radialista Sargento Eduardo, estará entrevistando a Promotora de Justiça Drª. Euza Missano, que abordará diversos temas palpitantes da área do consumidor, como planos de saúde, empréstimos, cobrança indevida, dentre outros.

Ligue 3234-3232 e participe do programa.

Envie também sua pergunta para o whatsapp do programa Fala Segurança:  99116-6763.

Ouça também o programa através da internet clicando no link a seguir: http://ajn1.com.br/

Já está agendada para o dia 14 de maio, entrevista com o Juiz de Direito da Comarca de São Cristóvão, Dr. Manoel Costa Neto, que falará sobre ética, política e corrupção.


As entrevistas foram possíveis graças a atuação do assessor jurídico da AMESE, Dr. Márlio Damasceno, que viabilizou a ida dos entrevistados ao programa.

Matéria do blog Espaço Militar

MINISTÉRIO PÚBLICO FAZ MEGAFISCALIZAÇÃO NOS BATALHÕES DA POLÍCIA MILITAR DO RIO DE JANEIRO.

Pente fino começa este mês pelos batalhões, mas será estendido a Unidades de Polícia Pacificadora e outras áreas da corporação. Segurança dos policiais é um dos focos


O raio-x foi determinado pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) em todo o país para mapear os batalhões militares e impulsionar o controle externo das polícias, também uma das missões dos promotores.

No estado, a PM tem 47 mil policiais dos quais 9.543 lotados em 38 Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). “Por enquanto, faremos só nas unidades com status de batalhão, pretendemos no futuro incluir as UPPs”, afirmou o promotor Paulo Roberto Mello Cunha Júnior, do Grupo de Atuação Especializada em Segurança Pública (Gaesp) e da 2ª Promotoria de Justiça que atua junto à Auditoria da Justiça Militar.

Nas inspeções, os promotores vão fiscalizar se existem militares fantasmas — aqueles que não vão trabalhar, mas conseguem presença —; aqueles que assumem o posto, mas vão embora antes do fim do expediente; quantos estão de baixa médica e a razão; o número de efetivo e até se há acessibilidade para deficientes físicos. “É uma vistoria técnica dos estabelecimentos militares preocupada em fiscalizar, mas também com as condições de trabalho do policial”, explica Paulo Roberto de Mello Cunha Júnior.

Para isso, será respondido um questionário com pelo menos 80 perguntas. Em nota, o presidente da Comissão do Sistema Prisional, Controle Externo da Atividade Policial e Segurança Pública, Guilherme Antônio Pereira Duarte, explica que o projeto de fiscalização das unidades faz parte de uma resolução do CNMP de 2007. A meta é a de que as vistorias sejam semestrais incluindo ainda os órgãos da Polícia Civil. No Rio, serão feitas este mês, em outubro e novembro.

“Desse modo, além da aferição das condições materiais e de recursos humanos, tal iniciativa se mostra importante na ampliação da efetividade do controle externo da atividade policial pelo Ministério Público”, afirmou Duarte. O conselheiro enfatizou ainda que “atende, também, aos esforços empreendidos por este conselho no sentido da redução da letalidade policial.”

Duarte planeja ainda uma reunião no mês que vem com o procurador-geral de Justiça do Rio, Marfan Martins Vieira. Este ano, segundo estatística do Instituto de Segurança Pública (ISP), cinco PMs foram assassinados em serviço. Sobre a fiscalização, em nota a Polícia Militar, através da assessoria de imprensa, informou que sempre que solicitada irá colaborar com os órgãos públicos.

Em dezembro, o Ministério Público criou o Gaesp. No início do mês, os promotores entraram com uma ação civil pública por ato de improbidade administrativa na Justiça contra 14 pessoas, sendo sete oficiais acusados de desviar pelo menos R$ 4 milhões do Fundo de Saúde da Polícia Militar do Rio de Janeiro (Fuspom). Entre os acusados está o ex-comandante-geral da PM coronel José Luís Castro Menezes, além de outros três coronéis e três majores da corporação.

Faltam equipamentos:  Unidade funciona atualmente com metade do efetivo

Falta de efetivo e equipamentos de segurança são as principais reclamações de policiais militares ouvidos pelo DIA. Segundo eles, há mais de três mil PMs fora da corporação que não trabalham com segurança pública. Os batalhões, principalmente, depois da Unidades de Polícia Pacificadores (UPPs) encolheram. O 23º BPM (Leblon), por exemplo, chegou a ter 1.200 homens. Atualmente o efetivo chega a pouco mais de 600 militares.

Com a crise financeira do estado, as viaturas operacionais da PM passaram a ter cota de combustível: só é possível abastecer 30 litros por dia. Os cortes nas despesas do governo também prejudicaram o Regime Adicional de Serviço (RAS), projeto que permite ao militar trabalhar no dia folga e que já existe há mais de quatro anos. Há atrasos desde o ano passado.

Em julho, o Ministério Público, o Governo do Estado e a PM assinaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para aumentar o investimento na corporação. Estão previstos R$ 4 bilhões ao longo de seis anos. Os recursos são para a regulamentação da jornada de trabalho, saúde e segurança do policial, formação e capacitação, deslocamento, alimentação, estrutura das unidades e medidas de proteção contra abuso de poder. Também foram estabelecidos compromissos para compra de equipamentos de proteção individual, coletes balísticos, armas e munição.

Pelo acordo com a 6ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania da Capital, todas as UPPs com 100 policiais militares teriam que ter equipamentos de informática com acesso à internet e instalações físicas permanentes. Este mês, o Ministério Público vai receber um balanço dos investimentos. Mas os policiais militares garantem que a realidade pouco mudou desde o ano passado.

Fonte:  SOS Policiais Militares

PM ORIENTA VÍTIMAS DE ASSALTO A LIGAREM PRIMEIRO PARA A POLÍCIA, PARA DEPOIS POSTAR NAS REDES SOCIAIS.


Após a série de assaltos ocorridos nos últimos dias em Estância e a divulgação através das redes sociais e da imprensa, um acalorado debate foi instituído entre entes da segurança pública e a redação do nosso portal. O debate foi estabelecido através do Grupo de Notícias no whatsapp e teve como principal eixo a morosidade da população no tocante a informar as autoridades policiais da ocorrência.

Segundo a Militar Márcia Mota, que conversou por telefone com a redação do “DS”, a população tem todo o direito de fazer suas postagens nas redes sociais, no entanto, o rito para resolver com mais agilidade  o problema não e esse, e parte, em primeiro lugar, de um contato imediato com a Polícia, principalmente por meio da polícia ostensiva, que é quem de fato realiza  rondas na cidade. Após ligar para a polícia, a vítima deve  se dirigir a DERPOL para fazer o boletim de ocorrência,  e somente após essas atitudes,  fazer as postagens nas redes sociais.

“O pessoal é roubado, vai primeiro pro zap, posta trezentas coisas , ai depois resolve ligar para a polícia e nesses casos a gente já sai na busca pelo meliante com cerca de quinze minutos de atraso, ficando difícil recuperar o roubo”, salientou.

Conforme  a militar, o atraso na comunicação do fato  faz com que seja minimizado  as chances de sucesso na ocorrência  e dá mais tempo  para o bandido fugir.

“As redes sociais ajudam, mas também atrapalham o trabalho da polícia quando primeiro,  a pessoa ao invés de procurar quem vai solucionar o fato, a pessoa  vai para a rede social, pois isso diminui o tempo de resposta da polícia”, declarou a PM, orientando os munícipes  que tiverem necessidades para que façam uso do  no 190 , que cai direto no Batalhão,  ou  o 198, que cai na central em Aracaju.

Em conversa com o nosso portal, Márcia salientou a importância que a população tem no combate criminalidade, anotando placa dos  veículos utilizados nos sinistros, passando com precisão e veracidade as características dos autores dos assaltos e, principalmente, registrando as ocorrências para que possa municiar a polícia de informações.

“Quando ele deixa de dar as  características, deixa de fazer o B. O, a gente pode até prender o elemento depois, mas aí quando chega na delegacia e não tem nada contra ele o cidadão é liberado e   não acontece nada”, enfatizou.

Antes de finalizar, Márcia destacou o grande número de trotes que diariamente são passados para a Polícia e ressaltou que isso também atrapalha os trabalhos.

Fonte:  Diário Sergipano (Pisca Jr - Júnior Alves)

O PRESIDENTE DA AMESE SARGENTO VIEIRA PARABENIZA A TODOS OS TRABALHADORES PELO SEU DIA E EM ESPECIAL AOS TRABALHADORES DA CLASSE MILITAR.

UMA HOMENAGEM À CLASSE QUE CARREGA O PIANO NA SSP E NÃO É RECONHECIDA.


Arte do chargista Clécio Barroso, sendo permitida a sua reprodução desde que não haja cortes nem supressão do que está contido na charge.

O BLOG ESPAÇO MILITAR PARABENIZA O CABO PM MÁRCIO FREITAS PELO SEU ANIVERSÁRIO.



O blog Espaço Militar parabeniza o Cabo PM Márcio Freitas pelo transcurso do seu aniversário neste domingo, dia 1º, rogando a Deus que o abençoe cada vez mais, dando-lhe muita paz, saúde, prosperidade e alegria ao lado dos seus familiares e amigos.

Prestamos a singela homenagem com a mensagem abaixo:

Chegou mais um aniversário seu e hoje estamos aqui para lhe parabenizar.
Aniversariar é se renovar a cada ano, é buscar sempre a evolução que a alma e o corpo precisam.
Neste dia especial, gostaríamos de desejar a você, todos os sentimentos bons do mundo.
Feliz aniversário! Que esta data se perdure por muito e longos anos, repletos de felicidades.

O BLOG ESPAÇO MILITAR PARABENIZA O CAPITÃO PM TOLEDO POR COMPLETAR MAIS UM ANO DA VIDA.



O blog Espaço Militar gostaria de parabenizar o Capitão PM Toledo pelo transcurso do seu aniversário neste domingo, dia 1º, rogando a Deus que o abençoe cada vez mais, dando-lhe muita paz, saúde, prosperidade e alegria, ao lado dos seus familiares e amigos.

Prestamos esta singela homenagem ao amigo.

Que o brilho de tua vida busque no céu a essência da luz da vitória para espalhar em teu caminho otimismo, esperança, compreensão, coragem e que tenha determinação para continuar a vencer.
Parabéns e Feliz Aniversário!

O BLOG ESPAÇO MILITAR PARABENIZA TODOS OS TRABALHADORES PELO SEU DIA E EM ESPECIAL OS DA SEGURANÇA PÚBLICA.


Nesse dia o mundo deveria dar mais valor
A você que cedo levanta trabalhador
Você! Que muitas vezes trabalha sem comida
Você! Que trabalha toda uma vida
Mas nesse dia do Trabalhador
continua sem valor!

É quem constrói a Nação
Mas é quem menos tem a receber
É quem dá tudo de si em troca de nada
Trabalhador que planta tem que colher

Mas trabalhador é classe, e esta é abandonada;
Neste seu dia, comemora-se no mundo inteiro.
Mas o mundo não conhece quem trabalha,
Quem passa uma vida fazendo tudo direito!

Mas esse é trabalhador verdadeiro,
Aquele que tudo faz calado, não espalha;
Ah! Trabalhador! Sem casa, sem comida sem saúde!
Trabalhador desempregado, desnutrido amiúde
Vai trabalhar, que canta, que ri e que chora
Vai comemorar o que nessa hora?

De globalização, de guerra, de desemprego;
Trabalhar onde? Foge da seca e no desapego
Até da família esquece, vai longe trabalhar
Na esperança de um dia tudo melhorar...

EM SERGIPE, 70% DOS PRESOS SÃO PROVISÓRIOS.

São internos que não receberam condenação e ajudam a superlotar as unidades prisionais do Estado.

Foto:  Arquivo JC

Em Sergipe, 69,5% da população carcerária é de presos provisórios, média bem maior que a brasileira que é de 40%. Fato visto com preocupação pela Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados Seccional Sergipe (OAB/SE). Para se ter ideia da situação problemática, o Estado tem 4.591, desses, 3.193 são temporários. A falta de unidades prisionais para o cumprimento de regime aberto e semiaberto também impactam nesse número alarmante. 

“Essa é uma questão precária por dois motivos: o primeiro é que aos olhos da OAB a prisão provisória tem que ser a exceção da exceção, visto que esta é uma situação que lida com o bem mais precioso depois da vida que é a liberdade. Além disso, gera uma distorção de todo sistema quando a quantidade de presos provisórios é maior que os definitivos”, pontuou Thiago Oliveira, presidente da CDH da OAB/SE. 

Ainda segundo ele, este problema acarreta diversos outros. “As pessoas podem estar sendo presas sem ter a certeza da culpa, isso pode acontecer, e acontece, a pessoa responder a um processo e depois ser absolvida no final e isso causa uma tremenda injustiça para o cidadão.  Além de ocasionar injustiça. É óbvio que a lei prevê que os casos em que uma pessoa pode ser presa antes do julgamento caso ela interfira nas investigações, esteja tentando fugir, etc. e será necessária a prisão provisória enquanto perdurar esse prejuízo”, disse. 

Oliveira destaca que essa situação gera a superlotação dos presídios sergipanos e esse é um fato que ocorre no Complexo Dr. Manoel Carvalho Neto, em São Cristóvão. O local que tem em torno de 800 vagas abriga 2.300 presos. “O país é o quarto do mundo em termos de população carcerária. Isso revela o processo para o qual o país tem se encaminhado. É preciso refletir e perceber o que está acontecendo. Será que esses presos provisórios não têm advogado, não são atendidos pela Defensoria? É preciso investigar se elas têm um perfil parecido, se estão esquecidas pela justiça. Com o novo processo eletrônico teremos mais rigor no sentido de que não vai haver esquecimento”.

O advogado espera que não haja banalização da prisão provisória. “Mesmo tendo prioridade na tramitação dos processos, há muita gente presa. Isso significa que, não há como dar prioridade para tanta gente, vai ter que ser dado para a grande maioria. Temos diversos fatores sociais que tentam lutar para tornar a Justiça cada vez mais célere para quem está preso, mas infelizmente, os julgamentos não ocorrem na velocidade que deveriam e não há uma solução rápida para isso”.

“Essa situação é algo muito complexa, não existem respostas simples para essa questão. É preciso buscar compreender essa política brasileira de encarceramento fadada ao descrédito da sua função constitucional. As pessoas que precisam não conseguem participar de um processo de ressocialização, o índice é baixíssimo. Precisamos fechar presídios e abrir escolas, espaços de lazer, creches, serviços públicos que combatam a violência. A juventude precisa de propostas concretas. Enquanto o sistema continuar como está, vai tudo virar uma bola de neve e não vai mais parar”, evidencia o presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB, Thiago Oliveira.

Dados 

Levantamento da Secretaria de Estado de Justiça revelam que no Presídio Feminino existem 177 presas provisórias. No Hospital de Custódia (69); Copencam (479); Compajaf (479) e no Cadeião de Socorro (146).

Fonte:  Jornal da Cidade

AMESE SOLICITA QUE SEJA CRIADA SALA PARA ADVOGADOS NO PRESMIL.


Na manhã da última sexta-feira (29), a Associação dos Militares do Estado de Sergipe (AMESE), protocolou ofício solicitando o empenho da Ordem dos Advogados do Brasil solicitando a criação de uma sala exclusiva para o atendimento dos militares custodiados naquela unidade.

O presidente da entidade, Dr. Henriclay Andrade, encaminhou o ofício para análise do Conselheiro Clay Anderson, coincidentemente advogado dos quadros da AMESE.

Dr. Clay Anderson se prontificou a analisar a viabilidade da preparação deste espaço para os advogados e se dedicar pessoalmente para que o pleito seja atendido, beneficiando assim, mais uma vez, os militares sergipanos.

Fonte:  Faxaju

sábado, 30 de abril de 2016

POR MENSAGENS, IRMÃS TRAMAM ASSALTO A PRÓPRIO PAI.

Irmãs de 21 e 17 anos planejaram o crime. A mais velha alegou que o pai havia retirado R$ 200 mil de sua conta poupança

As mensagens trocadas no grupo feito para planejar o assalto ao pai

Dois homens armados invadiram a casa de um comerciante, em Guararapes, interior de São Paulo, fizeram ele e as três filhas reféns, agrediram o homem com coronhadas e fugiram levando R$ 18,5 mil em dinheiro, três armas e R$ 40 mil em joias da família. Pai e filhas foram deixados amarrados. O esclarecimento do assalto, realizado no dia 27 de março, chocou os moradores da cidade. A polícia descobriu que o crime foi planejado pelas duas filhas mais velhas do próprio comerciante. Elas combinaram o crime em detalhes com os executores usando o aplicativo de troca de mensagens, WhatsApp, em seus celulares.

A filha de 21 anos, planejou o crime durante 40 dias e acabou envolvendo a irmã, de 17 anos. Apenas a filha caçula, de 14 anos de nada sabia. A mentora alegou que o pai havia retirado R$ 200 mil de sua conta poupança.

A polícia descobriu a trama após ter acesso às mensagens gravadas no celular da jovem. Ela criou e administrava o grupo pelo qual, com a ajuda de um amigo estudante de Direito, fez contato com os criminosos. A filha chegou a mandar a planta da casa para os assaltantes e fotos do cofre onde estavam o dinheiro e as joias. Também se incumbiu de dopar os cães para facilitar a entrada do trio.

Conteúdo das mensagens

As mensagens trocadas pela filha com os criminosos estarreceram o delegado Alessander Dias Lopes, que investigou o caso. Numa delas, a jovem avisa os bandidos que o pai tem uma arma.

"O lance é surpreender ele", recomenda. "Se ele atira você atira também", escreveu. Em outra mensagem, a filha afirma que o pai está "com rolo com a justiça", por isso deixaria o dinheiro em casa, e não numa conta bancária.

A filha também pede aos criminosos que sejam duros com ela e as irmãs e agridam o pai para dar veracidade à ação. "A gente tem que considerar vocês entrarem com eles aqui", avisou.

Fim do caso

O esclarecimento do caso foi anunciado numa entrevista coletiva, na sexta-feira, 29, com a participação do delegado seccional de Araçatuba, Mauro Gabriel. A polícia desconfiou do envolvimento de alguém da casa porque, além do pai, só as filhas sabiam da existência de um fundo falso num armário, onde eram guardadas as armas e as joias. Além dos dois executores e da jovem, a polícia prendeu dois suspeitos da receptação do material roubado.

Parte das joias e as armas foram recuperadas. O dinheiro deveria ser dividido com as duas irmãs, mas os assaltantes ficaram com todo o valor. O comerciante negou que tivesse ficado com o dinheiro da filha, mas admitiu que tinha um relacionamento "tumultuado" com ela. Os nomes não foram divulgados para preservar as menores - vítima e coautora.

Fonte:  Estadão/IG

QUATRO ANOS SEM REAJUSTE, INFLAÇÃO AUMENTANDO E QUEREM QUE A CLASSE MILITAR FAÇA MILAGRE COM SEU SOLDO.


Arte do chargista Clécio Barroso, sendo permitida a sua reprodução desde que não haja cortes nem supressão do que está contido na charge.

REVOLTA NO BARRO BRANDO: DESUMANIDADE E ASSÉDIO MORAL DESENCADEIAM DEPRESSÃO E SUICÍDIO DE CADETE, QUE NEM SEQUER PÔDE SER VELADO PELOS COLEGAS DE ACADEMIA.


———- Mensagem encaminhada ———-
De:
Data:
Assunto: mais um escândalo na academia do barro branco
Para: dipol@flitparalisante.com

olá,

gostaria que o texto a seguir fosse publicado em seu blog pois o comando da academia é extremamente sensível a este veículo q tem sido um canal aberto e eficaz de denúncia dos absurdos que aqui praticam.

"Com a sensibilidade de um cavalo

O dia 25 de abril ficará marcado como um dia sombrio para os cadetes do curso de formação de oficiais da polícia militar do estado de São Paulo.

hoje o cadete Maximilian foi encontrado morto em seu carro após ter cometido suicídio. Um rapaz jovem extremamente amável daquele tipo gente boa amigo de todos e sem desafetos. Ele tinha problemas no ambiente doméstico mas era neto de um falecido policial civil e seguindo os passos do avô ingressou na PM.

Recentemente o cadete por sua personalidade aberta e em desacordo com a vaidade do comando, vinha sendo extremamente penalizado com mais de 25 observações disciplinares (realizadas
por oficiais) enquanto a média de seus colegas é de 6. Ele também somava quase 360 horas de licenciamento escolar cassado
ou seja, em um regime de internato como o da academia no qual os cadetes vão para casa apenas aos finais de semana, o cadete Maximilian ficou 360 horas desses finais de semana, “preso” na academia sem poder retornar ao lar, em decorrência dessas observações disciplinares.

essa penalização excessiva só piorou, depois que o cadete Max tentou pedir o desligamento do curso pois acreditava não ser essa sua vocação. Ele foi desencorajado pelos oficiais e após desistir de pedir baixa foi muito mais fiscalizado como forma de repressão!

curiosamente o cadete era da 1a companhia comandada pelo Cap PM Risi, velho conhecido deste blog, muitas vezes citado aqui como um comandante ríspido que promove abusos.

Não bastasse a tragédia desse suicídio, o que o sucedeu na academia foi ainda mais revoltante!

por volta das 9 horas a notícia do ocorrido foi oficialmente transmitida aos cadetes, e então, como se nada tivesse acontecido, como se inúmeros amigos e colegas próximos, que com ele conviveram, não estivessem devastados com a notícia de que aquele amigo com quem convivemos dia e noite por 3 anos havia se matado. A academia manteve suas atividades ordinárias a comando do coronel Celso Luiz Pinheiro como se os alunos tivessem cabeça para assistir às aulas! Como se não houvesse luto! Completa falta de noção! De humanidade! De sensibilidade… Afinal o cavalariano Celso trata seres humanos como tratava os cavalos…

Mas o pior ainda estava por vir. A frieza e a desumanidade do Coronel Celso ainda iria nos surpreender.

Após o fim das aulas, às 17h o Coronel mandou por a escola em forma para ouvi-lo. Confesso que nem Dilma Rousseff teria feito um discurso tão infeliz e desastroso. Com palavras frias e insensíveis ao ponto de serem violentas, dado o estado de fragilidade dos cadetes abalados, saímos de lá extremamente ofendidos e Inconformados! O infeliz rotulou a atitude do cadete Maximilian como covarde!!! Imagine ouvir alguém chamando seu amigo q que acaba de morrer de covarde! O maldito nem sabia o nome do nosso amigo, teve a pachorra de perguntar ao microfone “Qual era mesmo o nome do menino? Maximilian né?!” é claro que ele não o conhecia nem deu importância ao nome daquele que falecera pois uma marca deste Coronel é não se importar genuinamente com pessoas.

Além de chamar o cadete Maximilian de covarde, o Coronel Celso chocou ainda mais os atônitos cadetes dizendo que suicídio “é algo estúpido” e que não é a melhor forma de resolver as coisas.

Durante a seção de ofensas generalizadas, o Coronel transpareceu estar mais preocupado em desestimular possíveis futuros suicídios durante sua gestão (o que complicaria seu futuro político na instituição e na reserva) do que confortar os cadetes. Foi vergonhoso, nojento e revoltante.

Pra fechar com chave de esterco, apenas alguns da turma do cadete foram liberados para estarem presentes no enterro. A maioria teve que assistir mais aulas na manhã seguinte, enquanto suas mentes e seus pensamentos se encontravam no enterro do amigo que não puderam sequer atender.

estamos desolados…
A Academia precisa desesperadamente de um ser humano no gabinete do comando.”

Fonte:  Jornal Flit Paralisante

ENTREVISTA COM A DRª. SUELY BARRETO NO PROGRAMA FALA SEGURANÇA TEVE ÓTIMA REPERCUSSÃO, COM A PARTICIPAÇÃO DE OUVINTES E INTERNAUTAS QUE INTERAGIRAM.

O programa Fala Segurança deste sábado, dia 30, apresentado pelo radialista Sargento Eduardo, entrevistou a Drª. Suely Barreto, coordenadora do projeto Independência Química, que trabalha voluntariamente na prevenção, no combate às drogas e ao álcool, com jovens no município de Estância e região circunvizinha.

A entrevista teve ótima repercussão, com a participação do Sargento Vieira, presidente da AMESE, do Dr. Márlio Damasceno, assessor jurídico da AMESE, além da participação por telefone dos ouvintes e de internautas através do whatsapp, que fizeram diversas perguntas à entrevistada.

A Drª. Suely Barreto mostrou a importância da prevenção no combate às drogas, principalmente, para os jovens, mostrando os malefícios que causa à própria pessoa, à família e por conseguinte, à sociedade. 

Abordou também a falta de  políticas públicas nas três esferas do poder (federal, estadual e municipal) no combate às drogas, bem como, a necessidade de maior participação da família no sentido de alertar cada vez mais aos seus filhos sobre os malefícios e a desagregação familiar que as drogas causam, levando muitas vezes, a um caminho sem volta.

Ouvintes parabenizam o programa Fala Segurança por trazer uma entrevista tão importante sobre o tema da drogadição e à entrevistada pela competência, dedicação e pelos brilhantes esclarecimentos prestados acerca de um tema tão importante para toda sociedade.

Confiram fotos do programa:


Drª. Suely Barreto ao lado do presidente da AMESE, Sargento Vieira

 Sargento Vieira a Drª. Suely Barreto e o Dr. Márlio Damasceno, assessor jurídico da AMESE


Drª. Suely Barreto no estúdio do programa, concedendo a entrevista

Drª. Suely Barreto sendo entrevistada pelo radialista Sargento Eduardo

Nivaldo, presidente do SEPUMA, Drª. Suely Barreto e o Sargento Vieira 

Wilson Tavares, Drª. Suely Barreto e o Dr. Márlio Damasceno

A filha da Drª. Suely Barreto, Ithana, também prestigiou a entrevista da mãe

Sargento Vieira ao lado do operador da Rádio Jornal AM

A Drª. Suely Barreto também não ficou de fora e também plotou seu carro em apoio à luta da classe militar

Matéria do blog Espaço Militar

TOBIAS BARRETO RECEBE O 11º BATALHÃO DA POLICIA MILITAR.


Sergipe ganhará, a partir do mês de maio, o 11º Batalhão da Polícia Militar. A nova unidade será instalada em Tobias Barreto, no sudoeste do estado. A inauguração do Batalhão significa uma maior presença da Polícia Militar em Tobias Barreto e municípios vizinhos.

O anúncio foi feito em visita da cúpula da Secretaria da Segurança Pública em Poço Verde e Tobias Barreto. A ideia é ampliar a integração entre Polícia Militar e Polícia Civil e baixar a taxa de crimes violentos na região.

O secretário da Segurança Pública, João Batista Santos Júnior, seguiu orientação do comandante-geral da PM, coronel Marcony Cabral. João Batista disse que a instalação do novo Batalhão da Polícia Militar é fundamental, já que Tobias Barreto é uma cidade que fica na divisa da Bahia e tem alta movimentação comercial e econômica. O delegado-geral da Polícia Civil, Alessandro Vieira, também acompanhou o secretário.

O novo Batalhão funcionará em um prédio com boa estrutura, cedido pela Prefeitura Municipal de Tobias Barreto. Hoje, a Companhia da PM em Tobias Barreto funciona em um prédio com estrutura inadequada., ao lado da Delegacia da cidade.

Fonte e fotos: Ascom SSP

DELEGADOS DA POLÍCIA FEDERAL CRITICAM AÇÃO DE JANOT PARA GARANTIR EXCLUSIVIDADE NAS DELAÇÕES.


A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) criticou hoje (29) a ação protocolada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para garantir ao Ministério Público (MP) exclusividade na celebração de acordos de delação premiada. Para a APDF, a medida pode anular as investigações da Operação Lava Jato, baseada, principalmente, em delações de pessoas envolvidas com o esquema de corrupção que foi apurado na Petrobras.

Na ação direta de inconstitucionalidade, Janot pede ao Supremo Tribunal Federal (STF) o reconhecimento da ilegalidade dos artigos da Lei 12.580/2013, conhecida com Lei da Delação Premiada, que preveem que delegados das polícias Civil e Federal também possam formalizar os acordos.

Segundo a associação, a tentativa de impedir que delegados possam propor a assinatura de acordos é um retrocesso. "A colaboração premiada, trazida para a lei em 2013, transformou-se no principal instrumento de combate ao crime organizado, especialmente, nos crimes de corrupção e soa muito estranho que no exato momento em que a Polícia Federal realiza as maiores investigações de combate à corrupção, seja proposta uma ação para dificultar a atuação da Polícia Federal", diz a ADPF.

De acordo com o procurador, a iniciativa para a proposta de acordos cabe somente ao Ministério Público, órgão acusatório responsável por dirigir a investigação criminal. "Investigação policial criminal deve fazer-se em harmonia com as linhas de pensamento, de elucidação e de estratégia firmadas pelo MP, pois é a este que tocará decidir sobre propositura da ação penal e acompanhar todas as vicissitudes dela até o fim do julgamento", argumenta Janot.

De acordo com dados atualizados, 49 acordos de delação com investigados foram firmados pela força-tarefa do MPF que atua na Lava Jato.

Fonte:  Agência Brasil

SINTRASE DIZ QUE GREVE DOS SERVIDORES ESTÁ MANTIDA.

Seed vai pedir ilegalidade da greve e cortar ponto de faltosos

Servidores estão em greve há quase três meses (Foto: arquivo Portal Infonet)

O Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos do Estado de Sergipe (SINTRASE) classifica as declarações feitas pela Secretaria do Estado de Educação (Seed), em resposta à greve dos servidores do Estado, como infundadas e desonestas. Seguem os esclarecimentos sobre a nota:


1 - Este sindicato representa quase 12 mil servidores da Administração Geral e é esta base que decide, por meio de assembleias, pela deflagração ou não de greve e paralisações. O SINTRASE não impede nenhum trabalhador de realizar suas atividades, como informa a nota. O servidor estadual que recebe até hoje, de forma desrespeitosa,
MENOS DE UM SALÁRIO MÍNIMO do Governo, decidiu paralisar as atividades, assim como se fez presente na luta pela aprovação do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) por anos e aguarda há quase dois pela sua implementação integral;

2 - A greve dos servidores é uma luta legítima, que obedeceu a todos os preceitos legais e que tem fundamento. A paralisação, inclusive, tem tido amplo apoio da sociedade e positiva cobertura da imprensa ao longo de todos estes meses;

3 - Os problemas apresentados em escolas da rede estadual são velhos conhecidos da sociedade. O funcionamento precário das instituições de ensino não é novidade, seja em fragilidades encontradas nas instalações físicas ou falta de qualidade da merenda (ou até mesmo ausência desta). A imprensa local já publicou e denunciou várias vezes o “caos da merenda escolar”, tendo veiculado, inclusive, a problemática em séries de reportagens nas últimas semanas. As informações da Seed, de que o sindicato e os servidores em greve prejudicam os alunos são, assim, facilmente desmentidas. Por isso, chega a ser desonesto para com a sociedade e com o funcionário público, em especial, as merendeiras, a acusação de que a categoria e o sindicato estão “privando os estudantes de terem acesso à alimentação”.

4 - O SINTRASE lamenta a atitude da Seed e informa que segue na luta, por entender que o servidor estadual deve ser, antes de tudo, respeitado e considerado pelo Governo. O sindicato repudia as declarações da Secretaria, que amedronta o servidor quanto ao corte de ponto (ponto fraco do servidor, que já recebe tão pouco), ao mesmo tempo em que tenta ludibriar a sociedade, sem uma boa sustentação argumentativa, já que todos têm conhecimento sobre a precariedade da rede escolar estadual. O sindicato aproveita para informar que a greve dos servidores continua por tempo indeterminado e que a próxima assembleia da categoria será realizada na terça, 3 de maio, a partir das 9h, no auditório do Sindicato dos Bancários, centro de Aracaju.

Com informações do Sintrase

Fonte:  Infonet

sexta-feira, 29 de abril de 2016

CONFIRA O CALENDÁRIO DE PAGAMENTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS ESTADUAIS.


Dia 29 (sexta-feira) – Ipesaúde, Segrase, Funprev  e Sergipe Previdência.

Dia 30 (sábado) – SEED

Dia 11/5: Estatutários das demais secretarias, aposentados e pensionistas.

E CADA VEZ MAIS MILITARES E APOIADORES DA CLASSE ESTÃO PLOTANDO SEUS CARROS E OUTROS LOCAIS COM O DIZER: "INTEGRAÇÃO NA SSP COMEÇA COM ISONOMIA".














Quem desejar fazer a colocação do adesivo em seu veículo ou outro local que tenha visibilidade e fazer parte da luta, é só entrar em contrato através do telefone 99957-3242.

NESTE SÁBADO, DIA 30, O PROGRAMA FALA SEGURANÇA ESTARÁ ENTREVISTANDO A DRª. SUELY BARRETO SOBRE PROJETO DE PREVENÇÃO NO COMBATE ÀS DROGAS.


Neste sábado, dia 30, das 11 às 12 horas, na rádio Jornal AM 540, no Programa Fala Segurança, apresentado pelo radialista Sargento Eduardo (Dudu), estará entrevistando a Drª. Suely Barreto, coordenadora do projeto Independência Química, que falará sobre o trabalho no combate às drogas, bem como ao álcool, através da prevenção com adolescentes e jovens de Estância/SE e municípios vizinhos.

Ligue 3234-3232 e participe do programa.

Envie também sua pergunta para o whatsapp do programa Fala Segurança:  99116-6763.

Ouça também o programa através da internet clicando no link a seguir: http://ajn1.com.br/

Já está agendada para o dia 07 de maio, entrevista com a Promotora de Justiça Drª. Euza Missano, que abordará diversos temas na área do consumidor, como planos de saúde, empréstimos, dentre outros.